Altônia realiza Simpósio contra Violência Infantil

Com a participação de vários setores da comunidade, Altônia realizou na quinta feira dia 15 de maio na Câmara de Vereadores o I Simpósio Contra Violência e Abuso Sexual de Crianças e Adolescentes foram realizadas palestras e debates sobre o tema que preocupa toda sociedade.

O encontro contou com palestra da Psicóloga Karina Ambrósio do Núcleo da Assistência Social de Umuarama, que falou sobre os traumas e o que fazer quando a criança ou adolescente sofre qualquer tipo de abuso sexual, Karina disse também a dificuldade de se prevenir esse tipo de crime, pois se torna quase impossível diagnosticar ou antecipar a ação do agressor que pode vir de qualquer setor de convívio da criança ou do adolescente.

A Promotora de Justiça da Comarca de Altônia, Dra. Ana Cristina em sua palestra falou sobre a aplicação das Leis e como aplicá-las e assim poder de alguma forma coibir toda e qualquer forma de agressão contra crianças e adolescentes. Ereni Galvão, Assistente Social do CREAS em Altônia falou dos trabalhos desenvolvidos em parceria com Ministério Público, Conselho Tutelar, Escolas e entidades que desenvolvem todo tipo de trabalho com as crianças e os adolescentes, no caso de Altônia o PRCA (Projeto Resgate da Criança e Adolescente) que entre seus trabalhos de atendimento com crianças e adolescentes de 07 a 17 anos tem os projetos Guarda Mirim e Bombeiro Mirim.

O Prefeito Amarildo Novato presente ao evento lembrou que é um engano pensar que esse tipo a violência e abuso sexual contra criança e adolescente é somente casos de televisão, e que esse mal tem que ser enfrentado e combatido por toda a sociedade. O Presidente da Câmara de Vereadores, Valdez Donizete Fabri fez questão de parabenizar todos os seguimentos da sociedade envolvidos na realização do simpósio e que somente assim, encarando o problema de frente haverá condições de se combater esse terrível mal que é a violência contra as crianças e adolescentes. A Chefa do Núcleo Regional, Maria Dulce Pozzobom lembrou que a luta é incessante para que coibir esse grande problema enfrentado por muitas famílias, ela ainda salientou a preocupação da Secretária Fernanda Richa para que a criança e o adolescente não sofra esse tipo de violência, mas quando eles são atingidos o Estado possa oferecer todo suporte de apoio possível para os agredidos e para a família. O Simpósio serviu para lembrar o caso “Araceli” acontecido em 18 de maio de 1973 e que posteriormente acabou ajudando na preparação de leis mais específicas no combate a violência infantil e juvenil, a partir da lei 9700/2000 e na confecção do Estatuto da Criança e Adolescente, o “ECA”.

[wowslider id=”4″]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *