Altônia, São Jorge do Patrocínio, IAPAR, EMATER e Citricultores de Altônia

Altônia, São Jorge do Patrocínio, IAPAR, EMATER e Associação dos Citricultores de Altônia juntos contra a maior doença destrutiva dos citros do Brasil

Em uma reunião realizada no dia 27/04/2017 na secretaria de meio ambiente e agricultura de Altônia resultou e uma inédita parceria entre a Prefeitura Municipal de Altônia, Prefeitura Municipal de São Jorge do Patrocínio, IAPAR e EMATER que visa o controle do GRENNING (HLB), que é a mais destrutiva doença dos citros existente no brasil, transmitida pelo PSILÍDEO (DIAPHORINA CITRI.).

Estiveram presentes nesta reunião o Engenheiro Agrônomo Carlos Alberto Buosi (Secretario de Meio Ambiente de Altônia), Paulo Cesar Lavaqui (Técnico Agropecuário da Prefeitura de Altônia) a Dra. Ana Maria Meneguim (Entomologista do IAPAR), Sr. Marcio Nunes (pesquisador do IAPAR), Engenheiro Agrônomo Ednilson Simone (EMATER), Técnico Agropecuário Crislei Marga Spanhol (Prefeitura de São Jorge do Patrocínio) e o Engenheiro Agrônomo Greder Laverde (Associação dos Citricultores de Atônia).

Com esta parceria será implantada duas unidades de acompanhamento e pesquisa de uso de controle biológico do psilídio.serão realizadas a introdução nos pomares de citros do inseto conhecido como vespinha do citros, a tamarixia radiata, que esta sendo produzido pelo IAPAR desde 2015 e usado na região Norte e Oeste do Paraná

A tamarixia é o principal inimigo natural do psilídeo e já é utilizado em várias partes do mundo para auxiliar no controle do psilídeo que transmite o HLB nas plantas de laranja e limão. a partir de agora com esta parceria está técnica irá também beneficiar os nossos produtores. de acordo com a pesquisadora Ana Meneghin, a previsão inicial era produzir 25.000 vespas por mês, mas com as técnicas adequadas e a implantação de um laboratório especifico a produção esta sendo de 60.000.

O que possibilitou está primeira parceria entre o município de Altônia e o IAPAR segundo o Eng. Agr. Carlos Buosi, foi que além do município de Altônia ser o maior produtor de limão de mesa do estado do paraná possui também uma associação de produtores de citros organizada. segundo Buosi “esta parceria traz uma nova opção de controle da doença por não causar desequilíbrio ambiental, é uma ferramenta que pode ser usada para o manejo sustentável do HLB e colabora com a preservação do meio ambiente, já que o controle biológico ajuda na queda da população de psilídeo, colaborando com a redução da necessidade do uso de defensivos nas propriedades”.

Os municípios de Altônia, São Jorge do Patrocínio e EMATER farão o transporte das tamarixias radiata a cada 15 dias de Londrina até as unidades de acompanhamento que estão localizadas no município de Altônia e São Jorge do Patrocínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *